• Almanza

Saiba por que investir em qualidade de vida no trabalho



As ações que promovem qualidade de vida no trabalho representam muito mais do que apenas um benefício corporativo ou um atendimento a normas legais. Na realidade, essas intervenções são um verdadeiro investimento na produtividade da empresa.


Há uma série de vantagens que se pode obter quando o índice de bem-estar dos colaboradores de uma organização encontra-se em um nível elevado. Confira neste conteúdo qual o retorno que se pode esperar deste investimento e qual a melhor forma de executá-lo.


Benefícios da boa gestão em saúde corporativa


São muitos os ganhos da empresa que adota uma política arrojada de promoção de saúde e qualidade de vida no trabalho junto aos seus colaboradores. Confira a seguir alguns deles:


Mais produtividade


Há uma série de estudos e trabalhos demonstrando que, quanto mais saudáveis — física e psicologicamente — estiverem seus colaboradores, melhores serão seus resultados. E quando percebem que há uma real preocupação do seu empregador com o seu bem-estar, os indivíduos estão propensos a desenvolver um sentimento de pertencimento que eleva ainda mais sua produtividade.


Melhor aproveitamento dos investimentos em saúde


Também há uma vantagem estritamente econômica na promoção da qualidade de vida no trabalho. Os gastos com plano de saúde [CTA blog post semana 1] podem ser paulatinamente reduzidos, à medida que se controla melhor a sinistralidade entre os colaboradores.

Com menos ocorrências, é possível negociar com a operadora de saúde uma redução nos índices de reajuste aplicados regularmente.


Queda nos indicadores de absenteísmo e presenteísmo


Esses são dois fenômenos comuns e muito prejudiciais às empresas onde a saúde corporativa ainda não está devidamente controlada. Doentes ou estressados, os colaboradores deixam de comparecer ao trabalho, de forma justificada ou não (absenteísmo). Ou, mesmo estando presentes, não têm capacidade produtiva (presenteísmo).


Em ambos os casos os prejuízos para a empresa são grandes. Investir na qualidade de vida no trabalho e na promoção de saúde é uma forma eficiente de manter essas duas ocorrências em índices aceitáveis.


Mais motivação e engajamento


Já falamos que ao se sentirem cuidados, os colaboradores desenvolvem com mais facilidade o sentimento de pertencimento a uma organização. Pois é possível afirmar que este é um primeiro passo para um ciclo positivo na relação do profissional com seu local de trabalho cuja evolução apresenta ganhos para ambos.


Esse pertencimento costuma vir associado ao crescimento da motivação, que é a mola propulsora do desejo do colaborador de enfrentar novos desafios, executando de forma mais efetiva as tarefas que lhe cabem.


Sentir-se cuidado também se reflete no engajamento, que pode ser descrito como um degrau posterior à motivação, quando o colaborador assume o sucesso de seus projetos com suas próprias realizações, e não apenas como obrigações da empresa.


Maior retenção de talentos


Já faz algum tempo que a remuneração deixou de ser o principal diferencial para a retenção de talentos em uma empresa. Entre as vantagens oferecidas pelo mercado, aqueles que envolvem o cuidado com a saúde e a promoção do bem-estar costumam fazer sucesso entre os melhores profissionais. Se os benefícios forem extensíveis aos seus familiares, a atratividade é ainda maior, reforçando a employer branding da corporação.


Roteiro para o bem-estar


Confira a seguir quais são as etapas indispensáveis para o sucesso de um projeto de promoção da qualidade de vida no trabalho:


Faça o mapeamento do perfil


O primeiro passo — e um dos mais importantes — é traçar o perfil dos seus colaboradores no que diz respeito à saúde. Identifique a quais riscos sua força de trabalho está mais exposta e reúna-os em grupos.


Essa será a forma mais eficiente de traçar um planejamento com foco na saúde preventiva, atacando os problemas mais incidentes. O mapeamento é essencial para o sucesso da implantação da gestão da saúde na empresa.


Defina as metodologias


Com os públicos mapeados, determine que tipo de metodologia será utilizada para garantir as melhorias desejadas. Cada grupo pode ter um tipo de demanda específica, o que exige diferentes abordagens.


Estabeleça incentivos


De que forma a empresa atrairá a atenção dos colaboradores? Quais serão os incentivos à sua adesão? Manter os colaboradores engajados em uma rotina de cuidados com a saúde não é tarefa fácil. Estabelecer recompensas é essencial, especialmente durante a implantação das inciativas.


Institua metas e a forma de medir a evolução


O que não é medido, não é gerenciado, diz a máxima da administração dos teóricos Robert Kaplan e David Norton. Na gestão de saúde, não é diferente. É preciso estabelecer objetivos claros e determinar como eles serão contabilizados.


Monitore os resultados


Acompanhe a evolução dos indicadores e os resultados do programa de saúde corporativa, sem deixar de monitorar a taxa de adesão.


Não esqueça também que o resultado financeiro é fundamental para sustentar qualquer projeto. Por isso, ao planejar alguma iniciativa verifique como será medido o retorno do investimento (ROI).


Invista em conhecimento na área


Para idealizar e desenvolver as iniciativas de gestão da saúde corporativa sua empresa vai precisar de profissionais com expertise no assunto, sejam reunidos em um time próprio, seja por meio de uma consultoria externa.


Menos cigarro, mais descanso


Vem do Japão um exemplo de ação arrojada de incentivo ao cuidado com a saúde no ambiente corporativo. Uma empresa de marketing de Tóquio criou uma norma que garante seis dias a mais de férias para os colaboradores não fumantes.


A iniciativa, na verdade, resultou de um pleito feito por um funcionário que não fuma. Ele constatou que os colegas fumantes perdiam muito tempo com o mau hábito. Eram pelo menos 15 minutos perdidos para deixar seu posto, fumar o cigarro e retornar à empresa, localizada no 29º andar de um prédio de Tóquio.


Três meses após a criação da norma, 30 colaboradores já desfrutaram da folga adicional. E o mais importante: quatro pessoas abandonaram o cigarro. Com mais de 21% da população fumante, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o Japão luta contra o tabagismo.


Esses são alguns dos benefícios que sua empresa pode aferir ao investir na promoção da qualidade de vida no trabalho. Lembre-se que esta atenção com o colaborador não é um diferencial. É uma prática comum nas organizações, extremamente valorizada pelos profissionais mais cobiçados do mercado.


Também não encare as despesas com saúde simplesmente como uma despesa. Veja como um investimento na produtividade e na melhoria dos resultados da sua empresa, com redução de custos de RH.


Se você gostou deste conteúdo e gostaria de saber mais sobre gestão de saúde corporativa, fale com um de nossos consultores.


Clique aqui.