• Almanza

Afinal, como calcular o ROI em saúde ocupacional?



Manter a qualidade de vida, saúde e segurança no trabalho é tarefa essencial à gestão e motivação dos talentos. Sem isso, é mais difícil que a equipe atue com qualidade e entusiasmo no expediente.


Hoje, existem muitos desafios ligados à saúde dos colaboradores — o estresse diário, as metas desafiadoras e a alta demanda pela eficiência. Todos devem ser bem gerenciados para que o time e a empresa sejam beneficiados e tenham um maior retorno financeiro. Esse retorno é calculado com o Return On Investment (ROI).


Quer descobrir mais sobre o ROI em saúde ocupacional? Entender como ele pode ser calculado e monitorado em sua empresa? Continue a leitura do artigo!


Desafios de promover retorno financeiro


Um recente estudo da Sodexo mostra que negócios que investem em saúde e bem-estar dos talentos são 70% mais rentáveis e 86% mais produtivos, em média. Isso quer dizer que a qualidade de vida está diretamente ligada ao melhor desempenho. No entanto, existem alguns desafios que devem ser considerados.


O primeiro é a dificuldade de relacionar a saúde ocupacional com o retorno financeiro. Diferente de outros investimentos, esse não é diretamente capaz de gerar novos negócios. Porém, é preciso lembrar que o investimento em saúde reduz custos com absenteísmo, presenteísmo, doenças e até acidentes no trabalho.


Outro desafio está na resistência de conscientização, inserção de pequenas pausas e exercícios físicos no trabalho. Por conta da obsessão pela eficiência operacional, muitos líderes sobrecarregam seus subordinados e deixam pouco espaço para práticas saudáveis. Isso mais prejudica que beneficia a empresa, pois a equipe é desmotivada.


Além disso, muitos gestores não enxergam a relação das más condições de trabalho e de saúde com o aumento dos custos. Por falta de qualidade de vida no trabalho, talentos erram mais, produzem menos e com menor qualidade. Também há aqueles que sofrem acidentes, podendo gerar custos astronômicos à empresa.


Logo, mesmo com tantos desafios, é possível observar que a saúde ocupacional está ligada a produtividade, redução do retrabalho e aumento da qualidade no que é feito. Por causa disso, é uma grande vantagem aos funcionários e à própria empresa.


Retorno sobre investimento na saúde ocupacional

Como calcular o ROI?


O ROI indica o percentual de retorno de certo investimento, permitindo que se faça uma análise precisa acerca da sua contribuição para a rentabilidade da empresa. Além disso, garante que o gestor tenha dados para tomar decisões acertadas.


Outra possibilidade é usar o ROI como análise preditiva. Nesse caso, para calcular o potencial retorno de um investimento futuro em saúde. De todo modo, veja o cálculo:


ROI (em %) = (ganho obtido – valor do investimento inicial) / valor do investimento inicial

Como é possível observar, o cálculo é relativamente simples! Você só precisa relacionar o ganho financeiro obtido (nesse caso, decorrente do aumento da produtividade do time ou da redução de custos) com o investimento inicial.


Imagine a seguinte situação: após investir R$ 7.000,00 em saúde ocupacional, você percebeu que os custos com rotatividade dos talentos caíram R$ 10.000,00. Também houve um aumento no faturamento (decorrente da produtividade) de R$ 12.000,00. Logo, o ganho total é de R$ 22.000,00. Ao usar o cálculo, verá que o ROI foi de 214%.


Apesar de ser um cálculo simples, é preciso ter um ótimo controle financeiro. Todos os dados numéricos devem estar embasados nos relatórios da empresa e devem ser de alta confiança. Para tanto, o mais indicado é contar com o apoio do setor financeiro.


Qual o resultado ideal?


Não há um resultado padrão. Quanto maior o retorno financeiro, melhor para a empresa. O ideal é que o gestor calcule o ROI da saúde ocupacional e utilize o primeiro resultado como padrão para os próximos, avaliando se a relação ganho-investimento aumentou.


O correto, claro, é buscar um ROI cada vez maior. Isso significa estabelecer metas desafiadoras, contratar profissionais de saúde ocupacional mais qualificados, monitorar os resultados e os possíveis pontos fracos. Assim, todo o negócio — nos vários níveis e áreas — é beneficiado.


Outra técnica para o maior retorno sobre o investimento é alinhar a saúde ocupacional à estratégia de crescimento. Desse modo, o desenvolvimento da empresa estará diretamente ligado ao bem-estar dos profissionais e à qualidade de vida.


Alinhamento entre saúde ocupacional e crescimento do negócio


Um importante método para interligar o crescimento do negócio à saúde e ao bem-estar no ambiente de trabalho é o OKR. Do inglês Objectives and Key Results (objetivos e resultados-chave), consiste na definição de objetivos desafiadores e sua subdivisão em resultados menores.


Nesse caso, o alcance do objetivo estará diretamente ligado aos resultados-chave menores, e vice-versa. Confira um exemplo ligado à saúde ocupacional:


Objective: aumentar em 10% o lucro da empresa;Key Result 1: reduzir em 40% as faltas por problemas de saúde;Key Result 2: aumentar em 20 pontos em E-NPS a satisfação dos funcionários;Key Result 3: mitigar o turnover em 50%.


Como pode observar, agora, a ideia é perseguir os resultados menores (todos ligados à saúde ocupacional) para só depois chegar ao objetivo maior, isto é, ao lucro desejado. Portanto, a empresa pode crescer sem deixar em segundo plano o bem-estar do time.


O número de OKRs criados pode variar bastante, mas o indicado é que seja entre 3 e 5 — assim, dá para manter o foco nos objetivos realmente importantes. Os resultados-chave, por sua vez, devem sempre ser expressos de maneira quantitativa.


Por fim, o mais interessante é envolver o time de trabalho na criação dos objetivos e resultados-chave, assim é possível gerar maior motivação desde o princípio.


Agora você está por dentro do tema! O cálculo do ROI deve ser feito de tempos em tempos, monitorando se o investimento em saúde ocupacional está gerando o retorno desejado. Se sim, perfeito. Se não, é preciso identificar em qual lugar está o problema.


Independentemente do resultado, é indicado criar objetivos (no formato OKR) e manter todo o time de saúde ocupacional engajado na sua busca. Menor assiduidade. Maior motivação. Satisfação. Esses são só alguns parâmetros que podem ser usados para mensurar o ROI em saúde ocupacional.


Agora que entende mais acerca do ROI na saúde ocupacional, aproveite para compartilhar suas principais dúvidas, sugestões ou experiências sobre o tema. Deixe seu comentário!