• Almanza

5 dicas práticas para aperfeiçoar a gestão de benefícios empresariais


Novos cenários surgem nos contextos empresariais e, com eles, o desafio de repensar as políticas e práticas na gestão de pessoas, principalmente no que tange aos sistemas de gestão de benefícios empresariais.


Esse tipo de programa tem ganhado importância, por ser uma ótima oportunidade de estimular os colaboradores, tornando-os mais produtivos e motivados. Além disso, ações desse gênero fortalecem a cultura organizacional, retêm talentos e apoiam mudanças comportamentais.


Outras vantagens são a melhora na qualidade de vida dos trabalhadores e de suas famílias e a prevenção e diminuição de doenças ocupacionais e absenteísmo no ambiente de trabalho. Fatores esses que geram grandes despesas.


Em sua empresa, os benefícios refletem de forma positiva ou negativa na satisfação de seus colaboradores? Confira cinco dicas de como você pode aperfeiçoar a gestão de benefícios em sua organização!


1. Faça um planejamento eficiente


Uma boa gestão começa com planejamento. O primeiro passo do plano de realização dos benefícios é a identificação do que será oferecido, seja tangível ou intangível. É preciso especificar cada ponto e definir métricas de avaliação.


Acompanhe a aplicação dos benefícios e, sempre que necessário, revise se ainda estão de acordo com as necessidades dos colaboradores ou se precisa mudá-los.


2. Ofereça benefícios adequados


Os benefícios devem estar adequados ao perfil dos colaboradores da empresa. Para tanto, utilize de pesquisas internas para reconhecer quais são as principais necessidades. Há benefícios que são mais comuns entre as empresas, como ticket alimentação e plano odontológico.


Já outras empresas vão além e oferecem mais vantagens. Há casos de organizações que disponibilizam uma enfermeira para acompanhar as mulheres durante e após o parto. A empresa também concede auxílio babá.


Outros benefícios que sua empresa também pode ser oferecer são: área de lazer, horários de trabalho flexíveis, programas de apoio psicológico e plano de saúde.


3. Desenvolva políticas de utilização


Desenvolva medidas de utilização, gerando a responsabilização pelo uso adequado do benefício recebido. As pessoas têm necessidades diferentes, por isso, crie políticas para adequar o uso conforme o perfil do colaborador.


Faça o acompanhamento individual das políticas utilizadas por cada funcionário para avaliar o impacto delas na vida profissional e pessoal. Veja se elas estão gerando resultados positivos ou se são apenas mais uma fonte de despesa para a firma.


4. Controle os benefícios concedidos


Uma boa gestão de benefícios inclui controlar os gastos investidos no programa e na utilização deles. Para tanto, invista em um sistema de gestão, o qual poderá auxiliar você na tomada de decisões por meio dos relatórios gerados.


Esse controle também permitirá que você acompanhe quem recebeu os benefícios e não deixa que nenhum funcionário fique de fora.


5. Crie manuais de solicitação de benefícios


A empresa pode optar por duas maneiras ao oferecer os benefícios aos seus colaboradores. Uma é definindo aqueles que são comuns a todos. E a outra é permitindo que cada colaborador solicite os itens que se encaixam no seu perfil. Dessa maneira, todos serão contemplados e ficarão mais satisfeitos ao obter aqueles que melhor atendam suas as necessidades.


Apesar de complexa e trabalhosa, uma boa gestão de benefícios colabora para o aumento da satisfação dos funcionários e, consequentemente, traz resultados positivos no clima organizacional e na rentabilidade da sua empresa. Não se esqueça, seu público interno são os seus primeiros clientes!


Agora, compartilhe este post em suas redes sociais e veja o que seus amigos têm a dizer sobre o assunto! Se precisar de uma ajuda para saber como fazer a gestão dos benefícios da sua empresa, saiba que prestamos consultoria sobre o tema.


Fale com um consultor.